Pinus- Parte 3. Final.

Temos Ooparca, que era um claro e é pouco resinoso e tem uma densidade média, e também o Taeda que é uma outra espécie também não é  muito difícil identificar ela é nativo dos EUA e Canadá ela é mais firme e mais claro que o Ellioti mas apresenta muitos nós e entrando nessa nossa lista de hoje não tem um Caribeae, que é uma espécie bem resinosa, ela uma dos principais  cultivos é a extração de resina mas também acaba sendo comercializada o taboado dela. E ela já é nativa de regiões mais quentes ela pega da parte dos EAU já mais próximo o México estende até a América Central

Mas no geral o Pinus é uma boa madeira para trabalhar é boa para serrar, para aportar, plena muito bem aceita pregos parafusos de um modo geral não é ruim o problema todo como disse é o tratamento que ele vem fazendo no Brasil.

Aqui no Brasil pelos praticamente implantado apenas no sul e no sudeste e mesmo assim alguns estados acabaram ficando meio que caracterizados por algumas espécies isso por causa das características topográficas e de clima um dos grandes entendedores de pinus infelizmente não está mais entre nós que é o nosso saudoso amigo Estrada quem fazia parte alguns fóruns aí na internet, provavelmente já tenha passado por esse nome em algum determinado momento  infelizmente nosso amigo partiu e nos deixou carente desse tipo de conteúdo. Bom era isso hoje, em breve venho com mais dicas de madeiras. Abraço!
http://www.apreflorestas.com.br/noticias/como-o-pinus-passou-de-madeira-pouco-nobre-para-a-queridinha-do-design/